You are currently viewing O que te torna diferente em meio à era da tecnologia?

O que te torna diferente em meio à era da tecnologia?

Em meio a tantas mudanças, somando a dominação da tecnologia, diferentes gerações convivendo juntas, é inevitável que o excesso de informações traga certa confusão entre o que realmente importa em cada área da vida humana.

No entanto, ainda existe algo que não pode ser comparado com as máquinas e que é específico de cada pessoa, que são as nossas habilidades emocionais, nisso o ser humano ganha das máquinas, são justamente essas possibilidades que serão exigidas no mercado de trabalho, as habilidades emocionais, elas são o nosso diferencial!

Você já ouviu falar em Skills?

No mundo do trabalho não poderia ser diferente, principalmente quando falamos da importância de manter atualizados as mudanças do mercado.

Os termos Hard Skills e Soft Skills são muito utilizados por recrutadores para especificar habilidades comportamentais e técnicas dos profissionais.

A palavra “skills”, traduzida do inglês, significa “habilidades”.

Assim, o entendimento de que ambos os conceitos falam sobre as aptidões de uma pessoa é intuitivo.

No entanto, não é possível traduzir os termos completos de forma literal e, ao mesmo tempo, manter o seu significado.

Por isso, vale explicar cada um deles para que entenda melhor seu conceito.

As soft skills são habilidades comportamentais do profissional.

Estão relacionadas às suas habilidades mentais e a capacidade de lidar com emoções.

Elas são mais difíceis de serem mensuradas e muitas vezes não é possível que sejam ensinadas, já que podem estar mais ligadas à capacidade natural das pessoas e se tratarem do resultado de tudo o que o indivíduo vivenciou em seu meio psicossocial.

As hard skills são habilidades técnicas do profissional.

Trata-se dos conhecimentos aprendidos em sala de aula, em cursos de graduação, especializações, livros ou até mesmo em treinamentos técnicos no trabalho sobre como operar uma máquina, ou como realizar a confecção de uma planilha.

Por um tempo, essas habilidades foram as principais fontes para a análise de um candidato, já que podem ser facilmente mensuradas e identificadas a partir de diplomas ou certificados.

Durante o processo seletivo, essas competências tendem a ser observadas por meio de testes específicos, avaliações de conhecimento, dentre outros.

“Ninguém é igual a ninguém. Todo ser humano é um estranho ímpar”
Carlos Drummond de Andrade

As habilidades necessárias

Existe um estudo que mostra algumas habilidades que são cada dia mais necessárias quando falamos no mundo do trabalho, é falado que o trabalho humano se tornará automatizado, mas existe algo que uma máquina ainda não é capaz de fazer, que são as nossas habilidades emocionais, nisso o ser humano ganha de forma disparada das máquinas, são justamente essas possibilidades que serão exigidas no mercado de trabalho, as habilidades emocionais, elas são o nosso diferencial!

Sendo este um blog desenvolvido por uma empresa que trabalha diariamente com contratações, treinamentos e desenvolvimento de empresas e de profissionais, temos a visão dos dois mundos.

A visão de uma pessoa à procura de emprego é diferente de um empregador e nosso trabalho envolve fazer o match entre ambos os mundos.

Uma das perguntas mais frequentes que recebemos dos candidatos está relacionada ao que de fato uma empresa busca em um funcionário, ouvimos que muitos currículos já foram entregues e ninguém os chama, que se candidataram em milhares de vagas e nada ainda. então recorrem a nós com o questionamento o que mais eu faço se apenas o meu currículo não adianta?

Nós não temos a resposta certa para essa pergunta, não temos uma fórmula mágica para dizer exatamente o que as empresas buscam e isso diz respeito ao fato de que não são todas as empresas que vivem a mesma realidade, não são todas as empresas que buscam a mesma pessoa, o mesmo perfil.

Mas uma coisa que podemos dizer com certeza, é que a grande maioria busca além do currículo, elas buscam olhar para a pessoa como um ser humano, como um todo e não somente uma ficha técnica (isso não quer dizer que apenas o currículo não seja importante).

O profissional do futuro

Em uma palestra do TEDx sobre o profissional do futuro, Michelle Schneider que é Business executive do Google trouxe um relato bastante interessante.

Em uma viagem de avião ela encontrou com Alexandre Hohagen, um dos responsáveis pela vinda do google e facebook para o brasil, em meio a essa conversa ela o questionou: ”o que você avalia quando vai contratar alguém para o seu time?”

A resposta poderia vir recheada de dicas, mas ele citou algumas informações e disse que mais importante que isso, a sua avaliação era feita principalmente por aquilo que eles são quando estão fora do horário de trabalho.

Destacando dessa forma, parece inusitado que um gestor de uma grande empresa considere que aquilo que a pessoa faz em suas horas vagas seja importante para o cargo que ela vai ocupar em sua empresa.

Mas aqui nesse caso, podemos trazer a seguinte reflexão: aquilo que você faz fora da empresa, os seus hobbies dizem sobre a suas habilidades emocionais, comportamentais, sobre aquilo que você gosta de fazer, muito além das tuas capacidades técnicas.

Deixamos aqui a reflexão para você, quais são as suas habilidades que te diferenciam?

O que você faz no seu dia a dia que não pode ser comparado com as outras pessoas?

No que você ainda pode melhorar?

Independente de qual seja a sua resposta, uma coisa é certa, são estas características suas que te diferenciam em sua vida profissional, pois estas são aquelas habilidades que você não precisou de nenhuma escola para aprender, e também são estas que as máquinas não podem copiar!